Menu

 


NAÇÃO OSASQUENSE de volta às arquibancadas e à Internet

 


Pois bem, muitos acharam estranho, mas, de repente, a NAÇÃO OSASQUENSE tirou seu site do ar e parou de acompanhar o clube que defende, o Esporte Clube Osasco (ECO). Acabou a paixão de seus Torcedores? NÃO. O que ocorria era o cansaço dos mandos e desmandos, além de não se suportar mais tanta incometência e má gestão.

Todos viram a palhaçada que foi a perda do acesso (mais uma vez) na A-3 do ano passado: necessitávamos apenas vencer os dois jogos em casa, e estaríamos na A-2 com uma rodada de antecipação mas, inexplicavelmente, perdemos a partida, embora a NAÇÃO, junto com sua Torcida-irmã Lobos de Osasco, estivesse forte na arquibancada. Até cartazes foram espalhados pela cidade, confeccionados pela NAÇÃO, e que surtiram efeito, mas passamos vergonha de convidar a população para ver um time andar em campo, e, mais uma vez, entregar o acesso. O problema não era perder - já vimos o ECO tomar de 5 a 1, fora de casa, depois de uma viagem cansativa, e isso não nos fez menos osasquenses - mas sim não lutar. Por exemplo, vejam a Copa do Mundo da Alemanha. Argentina e Brasil caíram na mesma fase, porém os argentinos foram recepcionados como heróis e os brasileiros como mercenários. Por que? A Argentina caiu, mas lutou bravamente; o Brasil perdeu, mas mal deu um chute a gol, demonstrando total falta de vontade.

Junta-se com isso os destratos de Maguila, ex-diretor do clube, que afirmava que as Torcidas nada faziam pelo ECO. Ora, foram as mesmas Torcidas que foram lutar para que o dinheiro público fosse liberado ao clube, entrando até em desavença com o Secretário de Esportes do Município, Jairo José da Silva Júnior. Para completar chegou à NAÇÃO um e-mail da BrasilTech Sports, ex-parceira do ECO, em nome de seu advogado, Carlos Cardoso, afirmando que os 150 mil repassados pela empresa ao clube não tiveram qualquer prestação de contas.

As Torcidas não agüentavam mais, e a NAÇÃO tomou uma decisão radical: não ir mais apoiar o ECO enquanto os desmandos dessa diretoria incompetente, chefiada pelo presidente-ditador-dono da firma Juvenal Ferreira, não fosse freada. Inclusive nos reunimos com o Secretário Jairo - ele mesmo, outrora adversário, mostrava-se compreensivo com nossas queixas. Brigar de modo saudável gera respeito, e o Secretário nos respeita. No encontro passamos a nossa posição de que não queríamos qualquer financiamento público ao ECO enquanto a gestão do clube não fosse séria; pedido este endossado pelo Secretário, concordando com nossas razões.

E na Copa Federação todos viram o Estádio Prefeito José Liberatti mais vazio do que igreja no Carnaval. Viram o ECO mendigar apoio, e se vender até para um americano, um tal de Michael Robin, tão incompetente que só ganhou uma partida no clube. Claro que isso nos angustiava, já que estávamos acostumados a ir todo domingo lutar pelo ECO, ainda mais sabendo que os gayrreiros de bueirori estavam se vangloriando das suas amizades grotescas e do que conseguia se vendendo para o prefeito de lá, Furlan (embora todos viram que a "inovação na arquibancada" era uma farsa na medida em que, com os ingressos cobrados a 10 reais na Série C, o público deles ficou igual ao menor do que o do Rochdale).

O ano mudou, houveram até rumores de que o clube mudaria de cidade, mas eis que passamos a ter novidades. Inicialmente fomos apoiar o ECO na Copa São Paulo de Juniores, entendendo que os garotos estavam passando dificuldades e, mesmo assim, não deixavam de lutar. Durante a competição a NAÇÃO e a Lobos tiveram uma reunião com o Secretário Jairo. Este explicou que o clube voltaria a ter financiamento público, com a grande diferença que agora haverá uma equipe da Prefeitura trabalhando dentro do clube e que as decisões tomadas pela diretoria só aconteceriam de fato com a aprovação deste grupo ligado ao Poder Público. Nada mais justo: já que, infelizmente, vivemos num país capitalista e, infelizmente também, temos uma má gestão por parte de Juvenal e companhia, manda quem paga.

Sendo assim, a NAÇÃO encontrou motivos para voltar, ainda que terá que sempre manter a atenção, pois não queremos ver o nosso querido Esporte Clube Osasco sendo mal-dirigido. Queremos um Garoto lutador, vibrante, assim como suas Torcidas. Ganhar ou perder no campo não importa (embora seja, sem dúvida melhor triunfar) - o que importa é ter seriedade, é ter GARRA, como no nosso lema: JUVENTUDE GARRA CORAGEM e ATITUDE. Esta última a gente tem de sobra sobra. Somos uma Torcida que luta para que a cidade e o clube tenham seu lugar de merecimento. Essa ATITUDE vai estar sempre registrada aqui neste site, e incorporada de vez ao lema.

Eu, Ricardo Roqueiro, aproveitei para reformular o site. Aos poucos vocês terão todo o conteúdo do site antigo em novo formato, e mais algumas novidades.

SOU ESPORTE CLUBE OSASCO, SOU RAÇA DOS MAIORAIS!
NAÇÃO OSASQUENSE
JUVENTUDE GARRA CORAGEM e ATITUDE

Ricardo Roqueiro (Diretor Geral)

 
© 2008 NAÇÃO OSASQUENSE Livre distribuição desde que a fonte seja citada