Menu

 

Textos - 2003
(colunas para o ECO OnLine - por Ricardo Roqueiro)

 


26/01/03 - Péssimo começo

Pouco público, jogadores sem documentação regularizada, juiz péssimo, tempo nublado e time medíocre: combinação perfeita para uma péssima estréia. Perdemos, amigos e inimigos, com um gol contra ridículo e com um ataque que não ganhava nenhuma bola pelo alto.

Estou muito preocupado. O momento deveria ser bom, com um patrocínio e com a notícia da reforma do Rochdalle, mas tropeçamos em muita coisa, repetindo erros do ano passado. O problema é que agora não é permitido vacilar - são apenas QUATORZE jogos e não trinta, como em 2002. Com isso, se torna imprescindível não perder na quarta-feira lá no Parque Antártica.

Começamos o ano igual a como acabamos no ano passado: com um gol contra do raçudo zagueiro Leandro. Ainda há tempo de reparar os erros, mas esse tempo é curto. E o XV nem jogou tudo isso; apenas se aproveitou das falhas do adversário para ganhar o jogo. Certo eles, pois estavam estreando fora de casa. Vieram para arrancar um empate e saíram com a vitória.

Mas ainda não deixo de acreditar - espero a volta de Fábio no gol e a estréia de Rodrigo Jaú para iniciar a recuperação, e terminar de modo diferente do ano anterior.

 

02/02/03 - Saudades...

Domngio 15:45 da tarde, em alguma cidade do interior...
-"Tamo chegando!"
-"Caraio! Que longe!"
-"Pega as bandeira..."
-"Cadê os fogos?"
-"Vamo zuá! Osaaaaaaaascooo! Osaaaascooo!"
-"Puta que arregaço! Está chegando a Loucos de Osasco!"
.........................................................
-"Ocêis vieram de longe? Veio a gangue toda?"
-"Chegaram os favelado!"
-"Ei, caipira, vai tomá no cú..."
.........................................................
-"Goooooool! Osaaaaaascoooo! Osaaaaascooo!"
.........................................................
-"Bi-campeão! Bi-campeão!"
-"Ocêis mereceram."
.........................................................
Bateu uma forte saudade agora. Do tempo em que ganhávamos. Do tempo em que éramos temidos no interior. Do tempo que éramos o "novo são caetano". De Warley, Washington, Mendonça, Alexandre, Fábio, Cléber, Maurício, Fabiano, Anderson Júnior...

E hoje não foi nada disso. Lanterna, Tabajara, perdendo jogo ganho e pênalti, com jogadores fracos. Quando marcamos o primeiro gol acreditei na volta dos velhos tempos. Quando o jogo terminou sofri ao tomar consciência que esse ano é lutar para não cair. Só um milagre para voltarmos a ser temidos.

Não jogamos mal. Mostramos mais raça do que os jogos anteriores, mas isso não foi suficiente. Faltou técnica, faltou aquele brilho. Resultado da nossa incompetente diretoria. O resultado de tantos erros está aparecendo não só no campo. Hoje tive a notícia que Warley entrou contra o E.C. Osasco na justiça, pois o time lhe deve. Justo ele, que nos deu tantas alegrias em 2000 e 2002.

E é doído ver esses mesmos dirigentes virando as costas para nós, e depois negam que fizeram isso. Pois bem Juvenal e Maguila, o E.C. Osasco não é propriedade de vocês, pois o clube é um patrimônio de uma sociedade constituída dentro da lei. Nenhum clube é propriedade de ninguém. Não se esqueçam que a Torcida já carregou esse time no colo, com todo o amor (é mais forte do que uma paixão), e lhe ajudou em todos os momentos que precisou.

Derramei lágrimas de alegria em Mococa, Barretos e Araraquara. Derramei lágrimas tristes em Itápolis. Eu e mais tantos outros. Jogadores já deram o sangue por essa camisa. E agora vejo essa pífia performance. Mas ainda tenho esperanças. Que em Rio Claro ganhemos do time local, nem que seja de "meio a zero". Que haja brigas entre Torcida e diretoria, mas brigas para que o time fique bem. Para que no final possamos nos agradecer mutuamente. Porém, no dia de hoje só fica uma mágoa forte contra os nossos dirgentes.

Reage Osasco! Não tô a fim de parar no Casseta e Planeta não... Aliás, o Tabajara vai conseguir sua primeira vitória. 3 a 0 contra o Osasco. Três gols da Vaca... que joga melhor que o nosso camisa Rodrigo Jaú. Esperei pela estréia dele inutilmente...

 

16/02/03 - Balanço do primeiro turno.

Está aí a conseqüência de tantos erros: lanterna do Grupo B da A-3. E invictos... NÃO GANHAMOS UMA! Tudo bem, para fugir do rebaixamento basta ganhar 4 partidas (e vamos ter 4 jogos em casa), mas nem a primeira ganhamos.

Melhoramos o nosso futebol, mas não foi suficiente: o time é limitado. Ganhamos com a volta de Fábio e Caldeira (lembram-se dele no Osasco Futebol Clube em 1999?) e a troca de técnico (Ricardo Oliveira por Ney Assoli) porém não perdemos as deficiências desde a defesa até o ataque.

Agora o que fazer? Rezar parece mais fácil do que vencer uma partida. Nos últimos jogos provamos que poderíamos vencer e sair dessa má fase, mas sempre faltou algum detalhe. Segundo turno começa na quarta, contra o Rio Claro. A equipe rioclarense iniciou a sua recuperação no campeonato com uma vitória sobre nós. Que agora seja o contrário.

E o Araçatuba tem feito uma campanha irrepreensível; parece que com a queda para a A-3 o clube tomou vergonha na cara. Não queria que fosse esse o nosso futuro.

Sabadão estarei lá em Minas com a Loucos de Osasco, levando a força da NAÇÃO para prestigiar a grande equipe do BCN, líder da Superliga. Esse ano a gente sai da fila - CHEGA DE TRISTEZA!

09/03/03 - Escapando...

Primeiro tempo do jogo de hoje, 09/03/03. ECO 0 X 0 Ferroviária:
- Vamos virar a faixa?
- Ah, não, primeiro jogo que eu consigo vir e já viro a faixa...
- Tá bom, entao se o time tomar gol a gente vira...

Um a zero Ferroviária:
- Vira essa porra!
- Cambada de cuzão! Vamos jogar bola!
- Um presentinho pra você, Juvenal!
E a faixa "Orgulho de ser Osasquense" segue o mesmo destino que as do Santos antes de sair da fila.

Cinco minutos depois...
- Vai... GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL!!!! Osaaaaaascoooo!
- Virar a faixa surtiu efeito!

Amigos, estamos escapando do rebaixamento. Ainda precisamos de uma vitória, ou de uma derrota da Ferrinha, mas estamos começando a ver o fantasma ir embora. Fiquei pensando: "tudo de novo? B-1? De jeito nenhum!" A diminuição da empolgação da pequena, mas fiel Torcida osasquense demonstra as agruras pelas quais estamos passando. No começo desse turno parecia que ia pintar uma surpreendente reação, como no ano passado. Ledo engano! Precisamos foi sim chamar o Exorcista.

Ainda não acabou. Estamos com um pé fora da cova, mas o futebol sofrível do nosso time nos assusta, mais do que os adversários. Porém, felizmente podemos contar com salvadores que honram a camisa do time desde 2000: Fábio no gol e Júnior na linha. Que eles sejam exemplo para os outros jogadores.

Passaremos por alguma angústia ainda, mas estamos perto de um final menos infeliz.

 

16/03/03 - A pior campanha desde 1997.

Fica repetitivo se eu falar de todos os erros cometidos no E. C. Osasco, mas o fato é que eles nos levaram à esse vergonhoso 12º lugar. Hoje empatamos com o Guará, mas poderíamos ter ganho. Ficou o gostinho de eliminar o adversário.

E vai vir aí o Super-Paulistão (Copa Estado). Eis uma chance de nos prepararmos melhor para o próximo ano. Não vai ser só o clube que vai entrar nessa preparação: nós, da Torcida, também precisamos nos fortalecer, porque esse desempenho pífio na A-3 nos enfraqueceu. Em relação ao clube, faço minhas as palavras do meu colega, Manoel, hoje no Rochdalão: "não é mole não, no ano que vem A-3 é obrigação"!

Nessa A-3 e na A-2 se provou o equilíbrio entre os times do Interior que estão mais próximos da capital. Basta verificar que, salvo se a Justiça Desportiva fizer alguma alteração, os segundos colocados das chaves do Oeste nas duas divisões passaram com mais pontos do que os líderes da chave do Leste, perto da capital. Porém agora é a hora dos mata-matas, a hora da verdade. Veremos o que fortalece mais: enfrentar adversários mais fracos e se classificar sem maiores dores-de-cabeça, chegando mais tranqüilos às semifinais, ou enfrentar dificuldades para se classificar, se fortalecendo em confrontos duros.

Aqui em Osasco vamos ver isso de fora. Que essa campanha sirva de lição para as próximas competições e para a disputa de 2004. Francamente acho que foi bom passarmos por esses sustos em 2003, servindo de modo exemplar para que NÃO SE REPITAM OS MESMOS ERROS! (já tô de saco cheio em falar disso...)

Agora vamos curtir o BCN nas semifinais da Superliga. É vencer ou vencer, meus amigos osasquenses e de outras cidades que nos prestigiam.

 

27/07/03 - Protesto

Nós, da NAÇÃO OSASQUENSE, estamos cansados de ver o ECO ser afanado jogo após jogo.
Por isso, avisamos que temos uma LISTA NEGRA de juízes.
Eis os nomes:

- Paulo Roberto Ferreira - ECO 1x1 Rio Claro - expulsou o Ivan sem expulsar o adversário que o provocou;
- Edimar Vendetti Pereira - Palmeiras B 1x1 ECO - deu um pênalti inexistente para a equipe verde;
- Paulo Roberto de Almeida - ECO 2x2 Ferroviária - por conseguir empatar o jogo para o time de Araraquara, inventando um pênalti;
- Renato Aparecido Fazanaro Canadinho - Juventus 0x0 ECO - a bola entrou, seu filha-da-puta, na falta cobrada pelo Denner.

Qual será o próximo juiz? A NAÇÃO vai continuar a perturbar os árbitros até que essa pouca vergonha acabe.
(Nota quatro anos após este texto: alguns destes árbitros continuam apitando e roubando tanto o ECO quanto outras equipes)

 

31/08/03 - Caridade indevida...

Quando o ECO inicia uma empolgante recuperação na Copa Estado, marcando duas vitórias seguidas, acaba por se deparar com um fantasma: perder para a pior equipe da chave. Foi assim nesse sábado, com a derrota para o Nacional por 3 a 2, após estar duas vezes na frente do placar.

E, outra terrível curiosidade: assim como quando perdemos do são caetano B, ocasião na qual eles eram o último da chave, foi a primeira vitória da equipe da Comendador Souza. Essa indevida caridade com os lanternas sem vitória custou-nos 6 pontos, com os quais poderíamos estar encostados em Juventus e Atlético Sorocaba.

Por que isso? Podemos tentar explicar de várias maneiras. Talvez a equipe entre com um relaxamento 'natural', até inconsciente frente à um time que é lanterna, acabando por não conseguir produzir bem em campo. Talvez sejam as falhas da defesa e a falta de um grande goleiro. Talvez seja o fato de jogar em campos com dimensões pequenas ou até o fato de que, mais dia, menos dia, essas equipes venceriam na competição, visto que ela se nivela por baixo por ser preparatória para outros campeonatos importantes, como o Paulistão 2004 ou a Série C do Brasileiro.

O fato é que nada disso justifica as derrotas. Além do que o Torcedor quer vitórias. Sejamos justos com o fato de que a equipe lutou nas duas derrotas, mas esbarrou no goleiro em dia de sorte (na ocasião contra o são caetano B) e numa defesa sólida (como contra o Nacional). E sejamos também compreensivos, pois o nosso grande objetivo é conquistar o acesso para a A-2; vamos aprender com esses erros, buscando corrigí-los e melhorando a cada jogo.

Apesar do colunista estar aborrecido com essas derrotas, há dois fatos que o deixaram feliz: a volta do bom futebol de Alexandre e a melhora no futebol de Ivan. Ambos estavam sendo muito criticados, mas mostraram uma boa evolução nessas últimas rodadas. Isso nos dá a mostra do profissionalismo de ambos. Importante que se siga o exemplo deles, para que possamos ser uma equipe forte novamente, dotada de jogadores desconhecidos do grande público, mas com habilidade e categoria que não os deixam para trás. Desse modo faz relembrar os bons tempos entre 2000 e 2002.

Agora voltemos à nossa realidade, pensando em vencer o Atlético Sorocaba no próximo domingo. Ficaremos a apenas 4 pontos dessa equipe e nos manteremos com chance... desde que paremos com essa caridade com os mais fracos.

 

14/09/03 - Quem perde é o clube...

Não podíamos ter perdido do são caetano-B. Não podíamos ter perdido do Nacional. Não podíamos perder do Juventus. Acabo de chegar do jogo, e perdemos por 3 X 2.

Fiquei essas duas últimas semanas afastado, envolvido com um importante trabalho na minha profissão (sou terapeuta ocupacional), e soube por várias fontes da confusão que foi a "greve" no time. Não posso precisar os fatos, mas percebi que o presidente Juvenal conseguiu pôr a Torcida do seu lado nesse episódio. A verba para o time foi liberada? O boicote foi realmente injusto, pelo fatos dos jogadores reclamarem por falta de pequena quantia nos vencimentos e prêmios? Estão todos em dia? Ouvi três "sim" para essas perguntas, mas não podemos ficar com a cabeça centrada só na questão 'pagou ou não pagou'. Temos que considerar outras questões. Como, por exemplo, o fato que sempre coloco desde que o time foi formado: necessitamos de patrocínio privado forte, e a Prefeitura ajudaria bem mais se arrumasse tal, eximindo-se da responsabilidade de ceder verba e cuidando de questões mais urgentes, especialmente para parar com esse drama anual de liberação ou não de dinheiro. Outro ponto: será que não faltou diálogo nessa situção? Talvez jogadores e dirigentes poderiam ser mais flexíveis. No final disso tudo, quem perde é o clube: cria-se um clima desagradável, que atrapalha na preparação dos atletas, e perde-se plantel. O fato é que precisa-se pensar num bem coletivo, pois o jogador nao joga sozinho e o dirigente não administra clube sem jogador. Além disso, o clube não é propriedade de ninguém - ele é de responsabilidade de todos que estão envolvidos com ele, seja por amor, seja por profissionalismo.

Não podíamos ter perdido do são caetano-B. Não podíamos ter perdido do Nacional. Não podíamos perder do Juventus. Não podíamos perder tempo com essa confusão toda.

Uma combinação fatídica entre um erro da arbitragem (pênalti), um erro da zaga (gol contra) e um erro do técnico (a não-escalação de Éverton no lugar de Carlos Henrique) levou-nos à derrota, que praticamente tira o ECO da luta pela classificação - temos 18 pontos em disputa, mas estamos com exatamente a metade atrás do Juventus, que está em segundo. Esses 9 pontos poderiam ser ganhos contra os três times que aqui coloquei, e estaríamos até três à frente do time da Moóca, mas... agora ficou difícil.

Precisamos repor jogadores, mesclando com os garotos cheios de garra que vieram dos juniores (Rafael, Kell e, especialmente hoje, Éverton, que deveria ter começado a partida). Uma contratação que seria bem-vinda se trata do garoto Cristian, camisa 10 do Juventus, que fez uma brilhante partida hoje (se bem que, com tanto talento, já deve ter empresário administrando a carreira dele e cobrando MUITO caro por uma transferência...). Mas nao dá para insistir com certos jogadores, como Denner e Carlos!

De qualquer modo, precisamos continuar pensando em fortalecer o ECO para a A-3 do próximo ano; cada um deve parar de olhar apenas para o seu próprio umbigo, para os seus problemas pessoais, para o seu orgulho frívolo, e pensar num todo, numa coletividade. Precisa-se pôr em prática o velho ditado "uma andorinha não faz verão", se não quem continuará perdendo será o clube...

 
© 2008 NAÇÃO OSASQUENSE Livre distribuição desde que a fonte seja citada