Menu

 

Textos - 2001
(por Ricardo Roqueiro - registro pessoal)

 


BI-CAMPEÃO!!
A trajetória da Nação Osasquense em 2001
Por Ricardo Roqueiro

Primeiro Turno

É... duas sem tirar!! Em 2000 foi a B-2 e nesse ano foi a B-1. Nesses dois anos a Nação Osasquense e a Loucos de Osasco (na época, nossa torcida-irmã) viveu momentos de glória. Nessa coluna aqui vou fazer um resumo sobre o ano de 2001; um resumo de como acompanhamos a brilhante conquista do Esporte Clube Osasco (E.C.O.). Como são muitos jogos (28) vou dividir o relato em duas parte: primeiro e segundo turno.

Primeiro jogo (04/03/01) Tupã 0 X 2 Osasco. Não estávamos lá...
Foi uma pena, pois estávamos empolgadíssimos com a conquista da B-2 e queríamos acompanhar o time; mas a viagem era longe e custava muito ao clube, que não tinha como bancar: estava sem patrocínio e à espera de uma ajuda da Prefeitura.

A estréia em casa (07/03/01) Osasco (vencedor nos pênaltis) 1X1 Fernandópolis.
Putz.... Que raiva!! Time com cara de cru (sem trocadilhos...): atacava, mas não chegava lá. O jogo foi numa quarta à tarde. É um horário esquisito, considerando que se está no meio da semana; umas mil pessoas foram ver o jogo (e o público médio nosso é de mil e quinhentos) - até que uma boa quantidade, considerando os fatores que eu escrevi. Ainda não tinha o racionamento de energia, porém o Estádio do Rochdalle não tem iluminação. No final do jogo veio a promessa de Juvenal, presidente do ECO, de que haveria ônibus para o jogo contra o XV de Caraguá, lá no litoral. Promessa cumprida...

(11/03/01) Primeira excursão: XV de Caraguá 1 X 2 Osasco.
Fomos em um busão com trinta pessoas. Saímos às 8:00, chegamos lá em Caraguá às 12:00 e fomos aproveitar a praia. No jogo, às 15:00, sofrimento grande. Saímos na frente, eles empataram, perdemos uns dez gols feitos, um engraçadinho ficou rebolando na nossa frente, e só vencemos no último minuto (lembrando as finais do ano passado). Final de jogo, tudo aparentemente tranqüilo no estádio mais feio que já visitamos (a arquibancada é um monte de tijolo, não tem vestiário, no mictório a água para sai por um cano furado, atrás da arquibancada do meio tem um morro de terra vermelha e a parte de trás dá para a Serra do Mar). Bom, as aparências enganam... estávamos saindo, quando de repente vimos pedras de terrão voando em nossa direção, partindo de trás do morro vermelho. Eram uns moleques covardes que estavam vendo o jogo dali, e no final ficaram escondidos lá jogando pedras. Foram duas chuvas de pedras e alguns de nós foram acertados. Um tiozinho teve a testa acertada por uma delas. Tivemos que levá-lo na Santa Casa de Caraguá, mas nada de grave. Como aqueles moleques se esconderam não pudemos achá-los para dar o troco. Mas no Rochdalle eles iriam ver só uma coisa...

(18/03/01) Bota esses diretores pra correr!!
Tomamos um vareio de bola do Palmeiras B em pleno Rochdalle. 4 a 1 para eles. O Mendonça continuava jogando mal e o Gilmar escalava errado o time. Os diretores do Palmeiras ficaram tirando sarro da gente. Pra quê?? Começamos a tacar neles amendoim, chinelo e o que tivesse à mão; eles tiveram que cair fora. No final, escutei do Juvenal: "o Mendonça ainda vai nos dar muitas alegrias..."

(25/03/01) O Mendonça desencantou!! Por isso é que choveu... Lemense 1 X 2 Osasco.
Foi de virada e na casa do adversário. Fomos em um ônibus lotado, com duas horas de viagem. Uma chuva forte caiu no segundo tempo, trazendo a reabilitação no vacilante ECO - bem fora de casa, mal no Rochdalle. Viagem tranquila, sem problemas.

(28/03/01) Seguuuuura peão!! Osasco 1 X 0 Barretos. Jogo numa quarta à tarde. Primeira vitória do Osasco em casa. Empurramos o time contra os chifrudos de Barretos que vieram para armar confusão. Provocaram a expulsão do Vagnão; o Pará, do time deles se deu mal: apanhou feio do nosso xerife por causa disso. Voltamos à liderança. Estávamos sendo jurados lá - prometeram nos pegar quando fôssemos em Barretos. OK, mas temos uma surpresinha pra vocês lá no segundo turno.

(01/04/01) Pintou o bi-campeão... A.D. Guarulhos 1 X 4 Osasco.
Um ônibus lotado, além de sermos bem-recebidos. Desde o tempo do Osasco F.C. não temos problemas com a cidade de Guarulhos, só amizade. O time foi melhor escalado e até o Kazu fez gol (na verdade foi o zagueiro deles que meteu para dentro, mas vamos dar um incentivo ao nosso artilheiro de outras temporadas). Quando entrei no estádio, que é o mesmo do Flamengo local, vi um escudo desse time e escrito em baixo: "Flamengo - Bi-Campeão 99/2000 - B1-B e B1". O Leonardo, do ECO OnLine me chamou a atenção disso também quando viu o escudo: "como eles se chamam de 'bi-campeão' se são duas divisões diferentes?" Respondi: "é... mas dane-se; se eles podem se chamar assim, quando for a nossa vez vai ser a mesma coisa; não vou gritar 'campeão', e sim 'bi-campeão'!"

(08/04/01) Três volantes??? Osasco 4 X 0 Palestra. E que buzina chata...
Não concordei com o Gilmar, mas foi essa formação que nos deu a primeira goleada do ano no Rochdalle. Solidificou o meio... mas bem que poderia ser alterada em jogos fáceis. É nesse jogo que apareceu pela primeira vez, trazida pelo Dyps, a tão famigerada buzina irritante de bicicleta, terror dos adversários. Eu também toquei a buzina; ela é chata, mas eu gosto...

(15/04/01) O que acontece com esse time em casa??
Empate com o Velo Clube (1 X 1) e vitória nos pênaltis graças ao São Fábio de Rochdalle. Irritação geral, pois nesse jogo o público foi de umas duas mil e quinhentas pessoas. O time joga mal quando a torcida tá em grande número?

(21/04/01) No último minuto DE NOVO!! Mauaense 3 X 3 Osasco (vitória nos pênaltis).
Fomos em um ônibus lotado, com gente em pé inclusive. Sofrimento, time jogando mal contra o vice-lanterna... e gol no finalzinho quando parecia que a vaca tinha ido pro brejo. Mas vai ter coisa pior ainda.

(29/04/01) Chame o ladrão!!!!!!!!!!!!!!!
Sertãozinho nos visita. Começamos o jogo recuado, e tomamos o gol. Quando fomos para cima, tarde demais!! Tá explicado porque o time joga melhor fora: três volantes é formação melhor para quem joga fora e não tem a obrigação de atacar e de ganhar. Mas, mesmo com esse erro poderíamos ainda ter ganho o jogo, se o juiz não nos roubasse um pênalti feito em cima do Mendonça no primeiro tempo e um gol legítimo do Washington no segundo tempo (o bandeirinha deu impedimento numa bola cruzada, vinda da linha de fundo - absurdo!!). O juiz ladrão ainda pediu proteção policial até o fim do jogo para "garantir o resultado" (a Nova Difusora pegou o ladrão falando isso). Tome buzinada, cusparada e pedrada nesses filhos da...

(01/05/01) Seus filhos da...
Fomos ao Jaçanã enfrentar o Guapira. Vencemos por 1 a 0, fomos com um ônibus lotado, com gente em pé. A TV Cultura estava lá fazendo uma matéria e nos filmou. Estávamos preocupados que houvesse briga com os caras de lá, afinal no passado tivemos problemas com o Guapira e sua torcida. Porém lá só estavam os sócios do clube. A única "ameaça" foi um gordinho de uns cinco, seis anos, que nos xingava e fazia "cara de mau"... zoamos tanto o leitãozinho!! O problema foi entre nós. Estávamos pegando no pé do time, que não jogava bem. Quando o Alexandre marcou o gol, Washington nos xingou, desabafando com palavrões. A torcida ficou irada, vaiava o Washington, queria que o Guapira quebrasse o nosso camisa 10 no meio, além de querer pegar ele... Eu e mais alguns não ficamos irritados com ele, mas a maioria sim; bom, achei que era só um desabafo, nada pessoal, e que o cara se esforçava pelo time. Isso deu briga até entre nós. O Nílton, presidente da Nação Osasquense, que estava defendendo o Washington, ficou tão irritado com o Fred, que estava xingando o jogador, a ponto de dar um tapão nele e na buzina dele...

(06/05/01) Vamos fazer as pazes... Osasco 4 X 0 Batatais.
Estávamos com a buzina atrás do gol. Era um escanteio no primeiro tempo. Buzinávamos sem parar tanto que o Washington nos xingou DE NOVO. Aí, pronto, a Torcida ficou mais puta da vida ainda... "Quebra!!" "Nóis vamo te pegá lá no estacionamento!" Mas, na saída para o intervalo ele pediu desculpas, pois sabia que a coisa ia ficar feia. No segundo tempo, ao fazer um gol, foi comemorar com a Torcida, se reconciliando, fazendo as pazes... Ah, o amor não é lindo?? Depois falei para ele no fim do jogo: "Fica frio - uma hora eles xingam, na outra te aplaudem..."

(20/05/01) Quem te viu, quem te vê... Osasco 1 X 0 Ferroviária.
Vencemos com um gol contra e com defesas milagrosas do nosso padroeiro, São Fábio. Assim, terminamos o primeiro turno na liderança, com 33 pontos, dividindo com o nosso famigerado inimigo Barretos. Caro leitor, teremos ainda mais emoções no segundo turno... é só aguardar!

Segundo Turno

Continuando a saga da Torcida Nação Osasquense, junto com a Loucos de Osasco, vamos à segunda parte: o segundo turno que nos levou à A-3 em 2002.

(27/05/01) Intrigas... Osasco 4 X 0 Tupã.
"Ei, ei ei, Esquerdinha é o nosso rei!" Enquanto a Torcida estava contente com Esquerdinha, o técnico Gilmar não demonstrava o mesmo. Por quê? Estaria o Esquerda acima do peso? Faltando aos treinos? Ou pura briga de vaidades? O que queríamos mesmo era o cara em campo, pois estava batendo um bolão, e que o técnico não o tirasse toda vez em que ele estivesse bem em campo. Mesmo assim, enquanto goleávamos o Tupã, Barretos e Palmeiras B empatavam; éramos agora líderes isolados.

(02/06/01) Decepção...
Estávamos prontos para ir à Fernandópolis quando... o ônibus não apareceu! E não fomos avisados com antecedência... Em campo um empate em 2 a 2, com vitória nossa nos pênaltis. Esse foi o último jogo do Gilmar no Osasco. Ele foi pro Figueirense. Bom, o nosso time estava bem e líder por causa dos jogadores, e não por causa dele. Fez mais falta a filha dele, que ia sempre no jogo! heheh

(10/06/01) Na estréia de Paulão, o revide. Osasco 2 X 0 XV de Caraguá.
A torcida deles veio... Lembram do primeiro turno? Agora é a revanche. Um engraçadinho quis dar volta olímpica com a bandeira deles no nosso estádio... tomou um pau e teve a bandeira rasgada. Vieram em dois ônibus: voltaram com as janelas quebradas. Agora estamos quites.

(14/06/01) Porcos um pouco menos tristes...
"E dá-lhe dá-lhe Boca! E dá-lhe dá-lhe Boca!" Aparecemos na Globo gritando isso. Eles vieram fazer uma matéria sobre o Palmeiras B, um dia depois da eliminação na Libertadores. Fomos em dois ônibus fazendo uma muvuca bem legal. Levamos até fumaça azul e branca. Mas no jogo, só pra variar, FOMOS ROUBADOS!! Gol legal nosso anulado, pênalti não dado... Resultado: 1 X 1 que poderia ter sido uma bela vitória nossa. Eles ganharam nos pênaltis, mas ainda éramos líderes; e a Débora Menezes disse isso para todo o Brasil ouvir.
Em tempo, antes que meus amigos palmeirenses briguem comigo: "porcos um pouco menos tristes" foi o título da matéria na Globo, fazendo alusão ao fato do jogo ter sido no feriado de Corpus Christi.

(17/06/01) Na estréia da nova bandeira grande, uma vitória certa nos escapa.
Osasco 2 X 2 Lemense. Vitória da Lemense nos pênaltis. Saímos com 2 a 0 na frente. Parecia que uma goleada coroaria a primeira vez da nova bandeira grande, mas a Lemense reagiu, empatou, fomos roubados de novo (gol legítimo anulado pelo bandeira) e, para finalizar, derrota nos penais.

(24/06/01) O jogo do ano. Barretos 0 X 2 Osasco. Chora Touro tonto!
Fomos em um ônibus. Era a revanche do primeiro turno, depois da briga generalizada que ocorreu em Rochdalle. Fomos mal-recebidos, ameaçados... mesmo assim fizemos um pacto: torcer para o time e não dar bola pros caipiras. No começo do jogo uma cena inesquecível para a Nação: a equipe entra em campo e corre até a nossa direção, levantando os braços para se apresentar e nos agradecendo - ignorando a hostil Torcida adversária. No campo uma vitória histórica e uma forma nem um pouco comum de se acabar um jogo: OITO expulsos do time adversário, sendo SETE titulares. Eram trinta do segundo tempo e a partida se encerrou por número insuficiente de jogadores por parte do Barretos. Incentivamos o time durante todo o jogo, ignorando as ameaças; quando aconteceu a confusão em campo que resultou as expulsões ficamos acuados, mas não corremos e nem apanhamos (quem apanhou foi um torcedor deles, em quem um polícia desceu o cassetete). Demoramos uma hora e meia pra sair. Mostramos coragem e inteligência, além de praticamente tirar o Barretos do campeonato.

(01/07/01) Bi-campeão!! Osasco 6 X 0 Guarulhos.
Uma TV a cabo de são caetano passa a transmitir os nossos jogos. A partir desse jogo começamos a subir e descer o nosso bandeirão. E nesse jogo começamos a gritar "é campeão!" Eu disse: "não! BI-CAMPEÃO!!" Aí pegou e ficou... BI-CAMPEÃO!!

(08/07/01) Isso que é time!! Palestra 2 X 2 Osasco (vitória nossa nos pênaltis).
Fomos em dois ônibus, conseguidos através de um ofício encaminhado ao Prefeito. Primeira vez em que viajamos num ônibus comum, 'de linha', daqueles que circulam pela cidade; o outro era de viagem. No jogo os adversários saíram com 2 a 0. Os palestrinos tavam se achando por estar ganhando do líder; nós respondemos com o grito de "bi-campeão", exercitando o nosso orgulho pelo ECO. Estávamos com um a menos e, mesmo assim, com muita garra, o time buscou o empate. Depois ganhamos nos pênaltis. Como é bom ser osasquense!

Ah. sim... Grito das nossas torcidas, inventado pelo Beto da Loucos, baseado no "rema, rema remador" da Gaviões. "Rema, rema remador, pau na cú do Barre - tos
Barretos só tem caipira. Pau na bunda do Guapira.
Se o Guapira não convence, pau na bunda da Lemense!
Se o Osasco não ganhar, olê olê olá, o pau vai quebrar!"

(15/07/01) Ficamos na mão... Velo Clube 1 X 1 Osasco (vitória nossa nos penais).
Pedimos dois ônibus e não fomos atendidos... disseram que foi porque o prefeito não estava na cidade. Vamos fingir que realmente foi por causa disso. São Fábio nos dá o ponto extra após um empate com gols.

(22/07/01) Pô!! Sufoco contra o vice-lanterna de novo? Osasco 1 X 0 Mauaense, na bacia das almas!
Contamos com os últimos milagres de São Fábio pelo EC Osasco, com um pênalti cobrado pelo adversário na trave, e - finalmente - com a competência de Mendonça. No caminho do Bi e à espera de ir até Sertãozinho...

(29/07/01) Aí foi o cúmulo! Se estivéssemos lá seria diferente o resultado...
Sertãozinho 1 X 1 Osasco (derrota nos penais). Empatamos com gols na estréia do goleiro Leandro. O nosso milagreiro Fábio foi contratado pelo Goiás. Perdemos nos pênaltis, mas perdemos também uma chance de mostrar para o Brasil inteiro a força do ECO. O jogo foi transmitido pela RedeVida para todo o país e não teve ônibus para nós. Foram dadas várias desculpas esfarrapadas. Pôxa, isso iria mostrar que o ECO tem uma Torcida fiel, apaixonada, que vai em todos os jogos, incentivando o time; além de significar que, mesmo o time estando na quarta divisão, tem uma estrutura tão forte que leva a Torcida para jogos longe de sua cidade. Durante a semana mandei um e-mail revoltado para a Nova Difusora, que passou a nos defender nessa questão do ônibus. Alberto, da Nação Osasquense, foi na rádio criticar essas mancadas dadas com a nossa Torcida e com a Loucos também. No jogo seguinte pressionamos e... CONSEGUIMOS OS ÔNIBUS DE VOLTA!

(05/08/01) O jogo do acesso! Osasco 3 X 0 Guapira.
Batuques, bandeiras, muito incentivo e... 3 a 0 na cabeça do rival de outros anos. Invadimos o campo do Rochdalle com a nossa bandeira grande e fizemos a festa no gramado. Inesquecível!

(12/08/01) Perdendo a invencibilidade fora de casa. Batatais 3 X 1 Osasco.
Fomos em dois ônibus. Pô, jogo transmitido pela TV estava nos dando um puta dum azar... mas o motivo da derrota foi o relaxamento do time depois do acesso. Aconteceu uma coisa legal: a Torcida Unida do Fantasma (apelido do Batatais) estava nos provocando e botamos eles pra correr sem dar um soco sequer, só na base da ameaça, do susto... Eles ficaram com o cú na mão. Apesar disso voltar de uma distância considerável com uma derrota na cabeça é chato pra caramba, além de ter a possibilidade de perder o título. Porém uma derrota do Sertãozinho pro Caraguá, lá no litoral, no fim-de-semana seguinte, nos colocou de novo no caminho do Bi. Deus existe e agora estamos devendo uma pro Caraguá... quem diria: foi com quem tivemos treta!

(26/08/01) BI-CAMPEÃO!! BI-CAMPEÃO!!
Dois ônibus nos levaram até Araraquara. Vencemos por 3 a 2, ganhamos pela primeira vez um jogo transmitido pela RedeVida nesse ano e fomos bi-campeões tendo o país inteiro como testemunha. Estreamos uma bandeirão novo (121 metros quadrados), que nos foi dada pelo vereador Délbio Teruel. Chegando em Osasco muita festa, fogos e cerveja gelada. Afinal de contas, nós merecemos!!!!!!!!!

Agora vem a A-3... vai ser mais difícil para o time e as duas Torcidas. Mas nada a temer: quem já enfrentou tudo isso, pode enfrentar muito mais!!


Curiosidades

* Em 24/06/01 ocorreu um fato histórico na vitória de 2 a 0 do E.C. Osasco sobre o Barretos, na própria cidade de Barretos. O jogo foi interrompido aos 30 minutos do segundo tempo por número insuficiente de jogadores por parte do "Touro (tonto)". Foram expulsos, nada mais nada menos do que SETE jogadores do Barretos que estavam em campo, além do goleiro reserva. Nenhum jogador do Osasco foi expulso. O jogo foi válido pelo Paulista da série B-1 (quarta divisão).

* Neste ano a Torcida Nação Osasquense e a Loucos de Osasco fizeram 9 caravanas: Caraguatatuba, Leme, Guarulhos, Mauá, Jaçanã, Parque Antártica, Barretos, Batatais e Araraquara. Até a pé nós iremos, mas de busão é melhor...

* No Brasileirão de 2001 as equipes do Bahia e do Goiás contaram com jogadores que já passaram pela cidade de Osasco. Ramalho, volante, defendeu o Osasco Futebol Clube em 1999, na série B-1-B (quinta divisão) e agora está no Bahia. Fábio, ou melhor, "São Fábio de Rochdalle", goleiro, que defendeu o E.C. Osasco na conquista da B-2 (quinta divisão, também) em 2000, e na conquista da B-1 em 2001 (até a 26ª rodada), está como reserva no Góias.

* Para a Copa Coca-Cola (o equivalente à atual Copa Federação) de 2001 o São Bento contou com três atletas que jogaram no E.C. Osasco em 2001: o volante Alexandre e os atacantes Washington e Joelson. Warley, estrela da equipe que conquistou a B-2, defendeu as cores do Roma Apucarana neste ano, na segunda divisão do Paraná. Por sinal, o Apucarana foi o campeão dessa divisão.

* Gilmar da Costa, técnico do E.C.O. em 2000/2001, se transferiu para a Figueirense (SC) na 2ª rodada do returno da B-1 deste ano. Disputou cinco jogos na Série B do Brasileirão e foi demitido pela péssima campanha: 2 vitórias e 3 derrotas. Ex-goleiro, Gilmar foi vice-campeão brasileiro e vice-campeão carioca em 1985 pelo Bangu, além de ter também defendido o Palmeiras no final da década de 70 e início da década de 80.

* Alexandre, capitao do E.C.O. em 2000/2001, é tetracampeão paulista. Explico. Ele conquistou o título de campeão da B-1-B em 1998, pelo Guapira. Repetiu a dose na mesma B-1-B em 1999, pelo Flamengo de Guarulhos. Em 2000 a B-1-B passou a se chamar B-2; mudou a sigla, mas a seqüência de títulos não: Alexandre sagra-se tricampeão da quinta divisão pelo E.C. Osasco. E por essa mesma equipe conquista em 2001 a B-1 e o seu quarto título consecutivo.

* O Osasco F.C. já fez em sua história uma transferência internacional. André Pinto, atacante, que jogou pelo O.F.C. em 1998, se transferiu posterirormente para o Beira-Mar, de Portugal. Ele voltou para o Brasil e neste ano defendeu o Flamengo de Guarulhos pela série A-3 do Paulistão.

* O atual goleiro do E.C.O., Leandro, já foi hostilizado pelas Torcidas Nação e Loucos. Foi no ano passado, quando enfrentamos a equipe em que ele estava jogando, Monte Azul, pelas oitavas de finais da B-2. Ele xingou a Torcida na derrota de seu ex-time por 4 a 0 no Rochdalle, que nos classificou para enfrentar o Jabaquara. No final do jogo, ele pediu desculpas, pois estava sendo negociado para vir jogar no E.C. Osasco.


Um caminho que promete

No jogo de 29/04/01 contra o Sertãozinho, pela série B-1, saímos com uma derrota em campo, mas a Torcida Nação Osasquense começava a ver o rascunho de uma vitória. O vereador Délbio Teruel, presidente da Câmara Municipal de Osasco, procura a nossa Torcida e nos dá uma sugestão: oficializá-la. Mas... para quê fazer isso? Para dar votos ao vereador? Para ser uma bagunça agrupada? Não! É para mostrarmos que temos força; que, apesar de sermos poucos (se comparados à Gaviões, Mancha, Independente, Jovem...), podemos marcar forte presença com uma estrutura bem organizada.

Essa sugestão foi seguida por mim e Leonardo, vice-presidente da Nação. Contando com a ajuda dos assessores do vereador bolamos algumas coisas, como estatuto e papel timbrado, que foram dando corpo à iniciativa. Estamos engatinhando ainda nessa oficialização, indo a passos lentos; porém o futuro promete: uma sede para nós, carteirinhas, festas...

Embora não temos ainda o que queremos, limitado ainda a camisetas, batuques e bandeiras, já estamos conseguindo atrair a atenção do poder público. E não "apenas" do presidente da Câmara, que vai sempre aos jogos, mas também a atenção de outras pessoas importantes que lidam com a coisa pública. Tal atenção rendeu um dia histórico tanto para a Nação quanto para a nossa torcida-irmã, a Loucos do Piratininga.

Foi no dia 6 de setembro. Durante a sessão ordinária da Câmara, o vereador Roberto Trapp subiu à tribuna e homenageou as duas Torcidas, destacando que acompanhamos o time desde o tempo do Osasco F.C. e que não é fácil acompanhar um time de quarta divisão. Colocou também que nós é que, nas próprias palavras dele, "agüentamos a bucha" durante o ano inteiro, buzinando no Rochdalle, indo para os jogos fora, como em Barretos e Mococa, passando por momentos arriscados, enquanto que as autoridades aparecem só no final do campeonato, tirando proveito. Colocou também que o intuito disso é que não apenas os cartolas sejam homenageados, mas que se faça uma justa homenagem para nós. Pediu que nos fôsse entregue uma moção de congratulações, através de um requerimento verbal. Ao final do discurso nós, que estávamos em dez pessoas, aplaudimos o vereador (muita gente não foi por ser véspera de feriado, e havia viajado, ou porque a sessão era às 13:00 da tarde, impossibilitando a vinda de quem trabalhava naquele horário). O requerimento e a moção foram aprovados pela Câmara por unanimidade. A moção será entregue por correio na casa do presidente da Nação, o Nílton.

É... e pensar que aquela reunião de quatro camaradas que acompanhavam o O.F.C. ia dar nisso. O futuro promete!

 
© 2008 NAÇÃO OSASQUENSE Livre distribuição desde que a fonte seja citada