Menu

 


GEO perde invencibilidade no quadrangular

 


Na última sexta, 24, em partida válida pelo Campeonato Paulista de Futebol – Série B, o Grêmio Osasco foi a Barretos, onde foi derrotado pela equipe local pelo placar mínimo, gol anotado por Thiago, aos 16 minutos da etapa final. Na outra partida do Grupo 11, o Batatais venceu o Guaçuano pelo placar de 3 a 0 e garantiu matematicamente sua vaga na Série A3 em 2009.

Vindo de três derrotas consecutivas, não restava outra alternativa aos locais senão partir para o tudo ou nada. E foi isso o que aconteceu. Logo aos 2 minutos de jogo, o Barretos criou sua primeira chance de gol. Em bola cruzada na área, Thiago subiu mais que a zaga e cabeceou perigosamente. A bola rebatida por Igor sobrou para Cristiano, mas o goleiro osasquense se recuperou a tempo de se atirar aos pés do atacante para evitar o gol adversário.

Somente aos 12 minutos o Grêmio Osasco deu seu primeiro chute ao gol. Edinho recebeu lançamento na intermediária e, livre de marcação, teve tempo de ajeitar e bater para o gol, mas a bola subiu muito e não levou perigo à meta defendida por Renan.

O Barretos continuou na pressão, com jogadas sempre articuladas pelo excelente meio-campista João Henrique, que sofria forte marcação de Renato, às vezes faltosamente. Na cobrança de uma destas faltas, o ala Péricles subiu livre de marcação e cabeceou à direita de Igor, assustando o goleiro osasquense.

A equipe local ficava a maior parte do tempo com a bola nos pés, mas esbarrava na forte marcação. Quando retomava a bola, a equipe do técnico Toninho Moura tentava articular rápidos contra-ataques, mesmo sentindo a falta de seus principais atacantes (Dedé e Daniel, suspensos por terem tomado o terceiro cartão amarelo no jogo passado, juntamente com o capitão Carlão). Num desses contra-ataques, aos 30 minutos, Edinho chutou de fora da área, para grande defesa de Renan. Quatro minutos depois, o camisa dez osasquense cruzou a bola na medida para Léo, que dominou no peito e bateu forte. A bola tinha direção certa, mas foi desviada para escanteio pelo zagueiro barretense.

Aos 36 minutos, veio a resposta do Barretos: Aluísio cobrou falta com perfeição, no ângulo, e obrigou Igor a voar para espalmar à escanteio. Um minuto depois, João Henrique recebeu a bola na intermediária e a carregou até a entrada da área, onde foi derrubado por Léo. Mesmo longe da jogada, o árbitro interpretou como pênalti. Mas a estrela de Igor voltou a brilhar como no jogo passado e Negão bateu para fora, por cima das traves.

O Grêmio Osasco quase abre o placar aos 40 minutos, quando Renato bateu falta na área. Léo cabeceou bem, a bola encobriu o goleiro, mas caprichosamente bateu no travessão e saiu. E na última jogada do primeiro tempo, aos 45 minutos, reclamação geral dos locais. Negão completou de cabeça cruzamento na área osasquense. A bola bateu no travessão, no chão e voltou para as mãos de Igor. Os jogadores do Barretos alegaram que a bola tinha entrado, mas com a ajuda de seu assistente o árbitro foi firme na marcação, apontando que não.

Para botar ainda mais pressão pra cima do Grêmio Osasco, para a segunda etapa o técnico Deto de Pereira deixou seu time ainda mais ofensivo, ao tirar o ala Claudemir, mandando à campo o atacante Iaúca. Nos primeiros minutos, os locais tiveram três escanteios a seu favor, sendo o primeiro deles logo aos 11 segundos de jogo.

Mas foi o Grêmio Osasco quem, aos 3 minutos, desperdiçou chance para abrir o placar, o que poderia ter mudado a história da partida. Em rápido contra-ataque, Renato lançou Léo que deixou Hugo Vieira na cara do gol. O atacante dominou livre de marcação, de frente para o gol, mas finalizou fraco, praticamente atrasando a bola para o goleiro Renan.

Aos 14 minutos, Igor interceptou bola cruzada na área mas ela sobrou livre para Thiago que bateu para o gol. Léo, em cima da linha, conseguiu aliviar o perigo. Mas dois minutos depois, em cobrança de falta, o mesmo Thiago aproveitou o rebote da zaga e bateu forte para o gol. Igor ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar que ela morresse dentro das redes osasquenses.

Depois do gol, o Barretos não diminuiu seu ritmo e continuou atacando. Para tentar reverter a situação, Toninho Moura mandou à campo Hugo Santos para o lugar de Hugo Vieira e Haider para o de Edinho. E foi em jogada de Haider, aos 23 minutos, que poderia ter acontecido o empate osasquense. O atacante dominou a bola dentro da área, girou sobre seu adversário e quando iria bater para o gol foi calçado pelo zagueiro adversário. Pênalti que o árbitro Eduardo César não marcou.

Aos 34 minutos, novo lance polêmico. Renato sofreu falta na entrada da área, mas antes de cair no chão tocou a bola para Hugo Santos. O atacante deixou Haider na cara do gol, mas quando ele se preparava para chutar, o árbitro parou a jogada: ele havia aplicado a lei da vantagem, mas se arrependeu e apitou – atrasadamente – a falta em Renato. William Lima cobrou mal, por cima do gol. Daí até o final, o Barretos tocou a bola sem pressa, esperando apenas que o árbitro encerrasse a partida, com vitória que mantém a equipe ainda respirando na competição.

No próximo sábado, às 19 horas, o Grêmio Osasco volta à campo para enfrentar o Guaçuano, em Mogi-Guaçu, em busca da vitória que lhe garantirá matematicamente na Série A3 no ano que vem. No outro jogo da grupo, também no sábado, às 16 horas, o já classificado Batatais enfrenta o Barretos.

Barretos: Renan, Claudemir (Iaúca), Cléber, Diegão e Péricles. Negão, Aluísio, João Henrique e Diego Bianchini (Duane). Thiago Potiguar e Cristiano (Bruno). Técnico: Deto de Pereira.

Grêmio Osasco: Igor, Léo, Michel, Wesley, Rodrigo (João Salge) e Caio. Willames e Renato. Edinho (Haider), Hugo Vieira (Hugo Santos) e William Lima. Técnico: Toninho Moura.

Local e data: Estádio Antonio Gomes Martins (Fortaleza) – Barretos – 24/10/08

Árbitro: Eduardo César Colonaro Coelho. Assistentes: Márcio Luiz Augusto e Anderson J. Moraes Coelho. Quarto árbitro: Alexandre Pivoto Camargo.

Gol: Thiago (16’ – 2T)

Cartões Amarelos: Thiago, Aluísio, Duane e Bruno (Barretos). Wesley e Willames (GEO).

Cartões Vermelhos: Diegão (Barretos) e João Salge (GEO).

  Luís Pires (Diretor de Comunicação - GE Osasco)
© 2008 NAÇÃO OSASQUENSE Livre distribuição desde que a fonte seja citada